Fonte: opovo.com.br

Como oferecer preços mais acessíveis pela internet

O e-commerce, ou comércio eletrônico, tem interessado também a micro e pequenos empresários. O POVO mostra dicas para quem quer montar a empresa online e alerta sobre a segurança na hora das compras coletivas

notícia 0 comentários

As vendas de produtos pela internet demandam cuidado

Abrir uma empresa demanda gastos fixos. Energia, água, internet, telefone e salário dos funcionários são algumas despesas da lista. Pois o e-commerce, ou comércio eletrônico, tem possibilitado uma redução de custos para o empresário pelo fato de o negócio necessitar, basicamente, de um domínio (o www) e a manutenção do site como taxa permanente.
Dentro da gama de possibilidades e serviços que podem ser oferecidos, uma regra impera: o atendimento pós-venda e o máximo de informações possíveis no site, como pondera o coordenador e cerimonialista do evento Ciclo MPE, Fernando Caldas. O evento é voltado a micro e pequenos empresários e lá foram repassadas orientações de como proceder no comércio eletrônico.
“No e-commerce, você vende o serviço, que deve ser diferenciado. Na cultura tradicional do varejo, a lógica é de venda e compra. Às vezes, o vendedor pode não estar disposto a passar as informações, por exemplo. Mas, no e-commerce, o site tem que passar e bem as informações”, diz Fernando.
De acordo com ele, na internet, como as empresas não têm muito custo, é possível também obter melhores preços. Outro detalhe é a empresa garantir a segurança das transações de compra no site, buscando intermediadores especializados.
Direto de fábrica

Para o microempresário Ricardo Gomes, preço é um dos atrativos da empresa Rigomex, que, em uma semana, terá serviços e pagamentos feitos na internet.
Segundo Ricardo, que é representante de produtos para combate a incêndio, ele consegue vender com até 60% de desconto pelo site. A ideia do negócio é tanto vender quanto prestar serviços de manutenção para as empresas e nesse ramo é a ideia é nova, conta Ricardo.
“Eu compro direto de fábrica. Os produtos vêm todos de São Paulo. E a questão do frete ainda será visto, de acordo com o valor comprado”, explica o microempresário.
O diretor da empresa OLX Classificados Grátis, Rodrigo Ribeirão, diz que em cada mês há um aumento de 15% nos anúncios publicados. Conforme o diretor, a empresa vive de publicidade e, caso o anunciante queira um destaque maior, ele paga uma taxa de R$ 5 por semana ou R$ 20 para entrar no topo da página.
A empresa, que teve início em 2005, tem filiais em Nova York e Buenos Aires e tem anúncios sobre imóveis, empregos, farmácias e cursos.

O quê

ENTENDA A NOTÍCIA

É crescente o número de acessos à internet. Assim, o comércio eletrônico vai ganhando força. Segurança em pagamentos on line e serviço pós-venda são alguns dos pré-requisitos para uma empresa ser bem-sucedida.

SERVIÇO

Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico

O quê: Fornece mais dados sobre o mercado de comércio eletrônico e dicas para empresas e consumidores.
Mais informações: http://www.camara-e.net

Registro de site
Para comprar um domínio
(o www): 
http://www.registro.br

Glossário

E-commerce significa comércio eletrônico; ou seja, o conjunto de atividades comerciais que ocorrem on line. O “E” na frente é oriundo da palavra electronic, em inglês. São muitos os nichos que abrangem esse tipo de comércio. É uma possibilidade de produtos e serviços serem oferecidos para o consumidor.
O e-commerce possibilita a diminuição de custos com aluguel de lojas físicas, além de permitir a venda do produto ou serviço para todos, desde que haja um método de fretamento. O site deve ser de fácil memorização e não ter palavras muito compridas.

Natalie Caratti nataliecaratti@opovo.com.br

Deixe um comentário